Índia entra na lista de violadores de liberdade religiosa

Como consequência, o país asiático pode sofrer sanções econômicas dos Estados Unidos

Indianos têm direito de liberdade religiosa negados pelos governantes do país
O clima de hostilidade causado pela propagação do nacionalismo hindu colocou a Índia na lista de países que violam os direitos de liberdade religiosa. A Comissão Americana de Liberdade Religiosa Internacional justificou a presença da nação por tolerar ou se envolver em “violências sistemáticas, contínuas e flagrantes da liberdade”. Outros países incluídos na lista de 2020 foram a Birmânia, China, Eritreia, Nigéria, Coreia do Norte, Paquistão, Rússia, Arábia Saudita, Síria, Tajiquistão, Turcomenistão e Vietnã.
A Índia estava fora da lista de “Países de Preocupação Particular” desde 2004. Porém, desde que o partido BJP alcançou a maioria do poder no país, algumas leis contraditórias têm colocado à margem e incentivado a intolerância com religiões diferentes do hinduísmo. Um exemplo é a Lei da Cidadania, que permite a regulamentação de imigrantes no país, exceto os de origem muçulmana.
De acordo com o relatório, as decisões governamentais indianas geraram um clima de hostilidade no território. “O governo nacional permitiu que a violência contra as minorias e seus locais de culto continuasse com impunidade, e também se envolveu e tolerou discursos de ódio e incitação à violência", afirma o documento.  Foi registrado também um aumento de ataques contra cristãos. O número de incidentes chegou a 328, todos relacionados a conversões forçadas. Os fechamentos e destruição de igrejas era o objetivo da maioria das ações dos extremistas.
Três países estavam na lista de 2019 e saíram na relação de 2020: República Centro-Africana, Sudão e Uzbequistão. A Portas Abertas noticiou mudanças importantes na sociedade sudanesa como a extinção da pena de morte aos que deixarem a fé islâmica. Essa e outras medidas mostraram que “novas lideranças com vontade de mudar podem rapidamente trazer melhorias tangíveis", disse o presidente da Comissão, Tony Perkins.
A Comissão Americana de Liberdade Religiosa Internacional é uma agência independente criada por uma lei em 1998. O presidente americano deve nomear oficialmente os países que mais ferem a liberdade religiosa dos cidadãos. A consequência de ter o nome na lista chega até a sanções econômicas, caso as tentativas diplomáticas de restaurar a liberdade religiosa não forem aceitas.
A Índia é o 10º país na Lista Mundial da Perseguição 2020 da Portas Abertas. Com 83 pontos, o nível de hostilidade contra cristãos no país é considerado extremo. O nacionalismo religioso, o antagonismo étnico e a paranoia ditatorial são as causas de muitos seguidores de Jesus enfrentarem a pressão e a violência. Com exceção da Birmânia, os países citados na matéria estão listados entre os 50 mais perigosos para um cristão viver.  
Índia entra na lista de violadores de liberdade religiosa Índia entra na lista de violadores de liberdade religiosa Reviewed by MISSÕES URGENTE on 08:24 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.