Header Ads Widget

Regime comunista da China condena jornalista que denunciou pandemia

 Zhang Zhan tem 37 anos e foi condenada a quatro anos de prisão.

Zhang Zhan (Foto: Reprodução/YouTube)

Uma jornalista independente da China que denunciou a pandemia de covid-19 em Wuhan foi condenada nesta segunda-feira (28) a quatro anos de prisão, enquanto o regime comunista da China insiste em tentar construir uma narrativa falsa sobre sua gestão para combater a doença que um ano se propagou por todo o planeta.

Zhang Zhan tem 37 anos e era advogada, quando passou a atuar como jornalista independente, acabando por ser condenada no tribunal de Xangai, que impediu a entrada de jornalistas e diplomatas estrangeiros que compareceram para acompanhar a audiência.

Forças de segurança também agiram para afastar simpatizantes de Zhan dos arredores do tribunal, que poderia condena-la a até cinco anos de prisão. Ativistas por direitos humanos protestam contra a prisão arbitrária de Zhang Zhan.

Um dos advogados da jornalista expressou preocupação com ela, afirmando que ela “parecia muito abatida quando a sentença foi anunciada”. Ren Quanniu também expressou “muita preocupação” com o estado psicológico da cliente.

Zhan é natural de Xangai e viajou em fevereiro para Wuhan, cidade que, na época, era o epicentro da crise, divulgando reportagens nas redes sociais, a maioria delas sobre a situação caótica dos hospitais, o que era negado pelo regime ditatorial de Xi Jinping.

Oficialmente, metrópole de 11 milhões de habitantes registrou quase 4 mil mortes por Covid-19, ou seja, a maior parte dos 4.634 óbitos contabilizados em toda China entre janeiro e maio.

Postar um comentário

0 Comentários