Header Ads Widget

Quirguistão: o novo governo trará mudanças aos cristãos?

 As movimentações políticas no país despertam medo nos seguidores de Jesus


O novo presidente do Quirguistão quer que as minorias se submetam às maiorias (foto representativa)

No início de outubro de 2020, o então primeiro-ministro do Quirguistão, Sadyr Japarov, permanecia preso, após os apoiadores sequestrarem o rival político dele em 2013 e ameaçarem incendiar o carro onde estava. Japarov cumpria uma pena de mais de 11 anos por ser cúmplice nessa ação.

Mas, em 6 de outubro de 2020, ele foi libertado em uma revolta popular contra as eleições parlamentares. O presidente do país, Soonronbai Keenbekov, foi forçado a renunciar e Japarov assumiu o poder. Ele organizou as eleições presidenciais e um comunicado sobre o novo sistema presidencial. Então, em 10 de janeiro de 2021, Japarov ganhou as eleições e disse ao portal The Economist: “Não vou repetir os erros dos governos anteriores. Vou dirigir o país de maneira justa”.

Quais as consequências para os cristãos?

As autoridades locais do Quirguistão têm um poder considerável e tendem a estar sob a influência da comunidade muçulmana. Isso tem fortes repercussões para os cristãos no país. Os de origem indígena e ex-muçulmanos suportam o peso maior da perseguição. Alguns são presos por longos períodos por suas famílias e agredidos fisicamente. Líderes islâmicos locais pregam contra os cristãos e podem fazê-los ser expulsos das comunidades.

Japarov ganhou grande fama quando fez uma campanha para a nacionalização de uma mina de ouro canadense no Quirguistão há nove anos – uma ideia que ele trouxe de volta desde que assumiu o poder. O novo presidente agora quer avançar rapidamente em reformas constitucionais que lhe darão mais poder. Ele também quer suprimir o artigo constitucional que estipula que um presidente só pode estar no poder por um mandato.

Quanto a grupos minoritários, incluindo cristãos, o novo governante adotou um tom conciliador em seu discurso de vitória no domingo. Japarov garantiu que não tem “malícia ou ódio” em seu coração e pediu aos seus rivais que o apoiassem. Mas ele também declarou: “A minoria deve se submeter à maioria”. O Quirguistão ocupa o 55º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021, onde os cristãos enfrentam opressão islâmica e paranoia ditatorial para abandonarem o evangelho. 

Pedidos de oração

  • Interceda pelo novo governo do Quirguistão, para que Deus dê sabedoria ao presidente e que ele governe com justiça e paz.
  • Ore pelos cristãos no país, para que se mantenham firmes na fé e confiantes de que Deus está no controle de todas as mudanças.
  • Clame por aqueles que não conhecem Jesus no país, para que tenham um encontro e experimentem a transformação de vida.

Postar um comentário

0 Comentários