Grupo terrorista islâmico confisca propriedades de cristãos na Síria

Um membro das forças árabe-curdas sírias coloca uma cruz nos escombros antes de uma celebração de Natal na fortemente danificada Igreja Católica Armênia dos Mártires no centro da cidade da cidade de Raqa, no leste da Síria, em 26 de dezembro de 2017, após uma operação de mina no local alguns dias antes. Uma ofensiva apoiada pelos EUA expulsou o grupo Estado Islâmico de Raqa em outubro, mas a cidade foi devastada pelos combates, e apenas uma pequena porcentagem de sua população pré-guerra retornou à medida que o ano se aproximava do fim. | DELIL SOULEIMAN/AFP via Getty Images
Um grupo rebelde islâmico sírio tem confiscado propriedades de propriedade cristã em Idlib, de acordo com um novo relatório divulgado por um cão de guarda dos direitos humanos sírio.

"Os cristãos na província de Idlib enfrentam a injustiça das organizações jihadistas e as violações das facções islâmicas, em termos de aplicar a 'lei islâmica da Sharia' a membros de diferentes comunidades religiosas", diz um relatório de 25 de abril divulgado pelo Observatório Sírio para os Direitos Humanos, com sede no Reino Unido.

O grupo adverte que as facções islâmicas na província devastada pela guerra no noroeste da Síria estão "reprimindo" os cristãos e impondo "Jizya", um imposto pesado imposto aos não-muçulmanos.

A SOHR adverte que a imposição de Jizya, que foi imposta pelo Estado Islâmico durante seu reinado de terror no Iraque e na Síria, é uma tentativa de grupos islâmicos de forçar os cristãos a "deixar suas casas para áreas controladas pelo regime".

De acordo com a SOHR, Idlib tem sido administrado por diferentes facções islâmicas que vão do Exército de Al-Fateh ao "Governo da Salvação", a ala civil de Hayat Tahrir al-Sham (HTS). HTS é um grupo militante sunita que se formou em 2017 como uma fusão de facções militantes, incluindo a Frente Al-Nusra.

"O HTS reprimiu os cristãos da cidade de Idlib, perseguindo os proprietários e ocupantes de suas propriedades", diz o relatório. "O escritório de propriedades 'cristãs' da HTS, que considera como despojos, notificou os inquilinos para verificar com os escritórios administrativos, para renovar os contratos e estabelecer novos termos, incluindo o aumento dos aluguéis de casas e lojas."

De acordo com a SOHR, as facções informaram aos inquilinos que o escritório tem o "direito de alugar, adquirir e dispor de bens a qualquer momento".

Civis dentro da comunidade cristã em Idlib que fugiram de suas casas são impedidos de nomear alguém "para mudar uma decisão tomada pelos tribunais da Sharia em relação à sua propriedade", segundo o cão de guarda.

"Da mesma forma para os civis da comunidade cristã no interior ocidental de Idlib, na cidade de Jisr al-Shughour e as aldeias e vilas de Ya'aqubiya, Al-Qunaya, Al-Jadida, Al-Ghassania e Halauz, onde hts e o escritório dos despojos, estão se desfazendo de propriedades para apoiar as famílias dos combatentes", conclui o relatório. "A questão da propriedade das famílias cristãs permanece sob o controle de grupos radicais da Organização Tahrir Al-Sham, apesar de suas tentativas de mudar suas políticas para explorar a revolução do povo sírio."

Esta semana, a Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos EUA divulgou seu relatório anual. No relatório, a comissão pediu ao Departamento de Estado dos EUA que rotulasse a Síria como um "país de particular preocupação", a pior designação da agência quando se trata da questão da liberdade religiosa.

A designação do CPC traz consigo o potencial de sanções incapacitantes para países que "violações sistemáticas, contínuas e flagrantes da liberdade religiosa".

Além disso, a USCIRF recomendou no relatório que o HTS fosse designado pelo Departamento de Estado como uma Entidade de Particular Preocupação, uma designação dada a atores não estatais.

A USCIRF afirma que o HTS "persistiu na repressão religiosa, incluindo o ataque e apedrejamento de uma mulher armênia em julho".

De acordo com a USCRIF, o HTS está envolvido em "violações sistemáticas, contínuas e flagrantes da liberdade religiosa", como definido pela Lei Internacional de Liberdade Religiosa.

O Departamento de Estado já reconhece a subsidiária da HTS, Al Nusra Front, como um EPC e como uma organização terrorista estrangeira designada. A USCIRF salienta, no entanto, que a designação do PcE não deve limitar-se apenas à Frente al-Nusra.

A Síria está classificada em 11º lugar na Lista Mundial de Observação aberta dos EUA 2020 dos países onde os cristãos são mais perseguidos.

De acordo com o Open Doors, a guerra civil síria de anos deixou o país em tumulto e os cristãos não foram poupados do sofrimento, pois são pegos no fogo cruzado entre o governo e as forças rebeldes.

Além disso, os cristãos estão em risco se as forças antagônicas ao cristianismo governarem suas regiões de origem", explica uma folha de fatos do Open Doors. "Em áreas controladas por grupos islâmicos radicais, a maioria das igrejas históricas foram demolidas ou usadas como centros islâmicos. Expressões públicas de fé cristã nessas regiões são proibidas e edifícios de igrejas ou mosteiros não podem ser reparados ou restaurados, independentemente de o dano ter sido colateral ou intencional."
Grupo terrorista islâmico confisca propriedades de cristãos na Síria Grupo terrorista islâmico confisca propriedades de cristãos na Síria Reviewed by MISSÕES URGENTE on 09:34 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.