Pastores que cometem adultério devem ser permanentemente banidos do ministério? John Piper responde

Teólogo, John Piper. | Vimeo/DesiringGod.org/Screengrab
O notável professor da Bíblia e fundador da DesiringGod.org, John Piper, acredita que pastores que cometeram adultério devem ser autorizados a retornar ao ministério, desde que tenham se envolvido em um longo período longe da liderança da igreja.

Em um episódio do podcast "Ask Pastor John", um ouvinte disse que sua igreja estava considerando contratar um pastor que havia deixado sua congregação anterior porque ele cometeu adultério.

"Ele foi pego, se arrependeu e pediu perdão. Eu certamente acredito que Cristo perdoa adultério. Mas lendo as passagens sobre os líderes da igreja nas Epístolas Pastorais, não vejo como poderia ser a vontade de Deus para ele continuar pastoreando. Quais são seus pensamentos? O arrependimento é suficiente para fazer deste homem um líder em outra igreja? E, de forma mais geral, que pecados - se houver - desqualificam um pastor para a vida toda?", perguntou o ouvinte.

Piper respondeu observando que os padrões podem variar para o que pode desqualificar um pastor para a vida "porque eu não acho que a Bíblia dá uma instrução clara sobre como um pastor desqualificado pode se qualificar novamente".

"Não acho que esse seja o tipo de problema em que a igreja como um todo jamais terá acordo", disse Piper no podcast que foi ao ar em 24 de abril. "Acho que todas as igrejas locais devem orar e pensar e estudar seu caminho através das Escrituras em uma posição a partir da qual os anciãos podem trabalhar em unidade em relação a esse tipo de coisas."

Piper disse considerar que pecados como adultério que são cometidos "após a conversão e bem na vida cristã" são "indícios mais sérios de inaptidão para o ministério do que nossos pecados antes do novo nascimento e da nova criação em Cristo".

"Adultério após conversão está pecando contra a glória da luz de Cristo", continuou ele. "Antes da conversão, estávamos todos na escuridão espiritual; estávamos agindo de acordo com nossa natureza.

"A questão é que a ofensa foi agravada por sua traição profundamente multicamadas de Deus, esposa, novidade cristã, o Espírito Santo, o povo de Deus, o Evangelho, a reputação do Evangelho no ministério cristão."

Piper passou a expressar preocupação de que muitas igrejas não levem isso a sério o suficiente e advertiu contra ser muito rápido para devolver alguém ao ministério que pecou de tal forma.

"Ele deveria conseguir outro tipo de trabalho e seguir sua vida, humildemente recebendo a disciplina e os ministérios regulares da igreja, seja em sua antiga igreja ou em outra igreja", concluiu.

"Se ele voltar ao ministério, deve ser depois de um longo tempo de humilde e contente aceitação de um novo modo de vida fora do ministério oficial da igreja."

Uma pesquisa de 2016 com 1.000 pastores protestantes conduzidos pela LifeWay Research, com sede em Nashville, descobriu que cerca de três quartos dos entrevistados não acreditavam que ser pego em adultério justificava uma proibição permanente do ministério.

A LifeWay descobriu que 24% dos pastores apoiavam uma proibição permanente, enquanto 31% apoiavam uma proibição temporária de pelo menos três meses a um ano, e 25% não tinham certeza.

"As Escrituras dizem que os pastores devem estar acima da censura", disse Ed Stetzer, então diretor executivo da LifeWay Research, em uma declaração na época.

"Portanto, não é surpresa que alguns queiram ver pastores caídos banidos do ministério. Ainda assim, pastores também são pessoas que falam sobre perdão regularmente e, em geral, querem ver aqueles que caem têm uma chance de restauração."
Pastores que cometem adultério devem ser permanentemente banidos do ministério? John Piper responde Pastores que cometem adultério devem ser permanentemente banidos do ministério? John Piper responde Reviewed by MISSÕES URGENTE on 10:09 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.