Header Ads Widget

"Prefiro morrer do que abandonar Cristo", diz viúva de cristão assassinado na Índia

Chandan e seus filhos se salvaram, mas seu esposo foi morto na selva pelos extremistas


Imagem ilustrativa. Seu marido foi morto por militantes comunistas que tem assassinado milhares de cristãos na Índia. (Foto: Reprodução).
Cerca de 30 naxalitas (grupo de militantes comunistas que operam em diferentes partes da Índia) invadiram a casa de um casal cristão, Aadarsh ​​e Chandan. Graças a Deus, nenhum de seus filhos estava no local.

Eles arrastaram o patriarca para fora de sua casa. Sua esposa o agarrou, mas eles a espancaram até que foi obrigada a soltar seu marido., Os homens desapareceram na selva com Aadarsh preso.

Poucas horas depois, alguns aldeões encontraram o cadáver do homem, morto na montanha.

Aadarsh ​​era um pastor e se dedicou a resgatar vidas para Cristo, especialmente jovens. Ele amou Deus até o dia em que os naxalitas o mataram na montanha. Cristãos como ele se opõem a este grupo que recruta jovens.

O grupo é tão perigoso que nos últimos 10 anos, atacou, espancou, raptou, estuprou e assassinou milhares de cristãos na Índia.

A polícia não pôde ajudar e os aldeões, pois teve medo de intervir. Por isso, Chandan teve que fugir da aldeia com seus filhos. Uma semana depois, a equipe da Portas Abertas a encontrou e ofereceu um lugar para ficar, comida e roupas.

"Eu prefiro morrer em vez de abandonar meu Cristo", disse ela para os irmãos que a visitaram.

A pequena comunidade cristã que mora na região onde Chandan morava sofre grande opressão dos naxalitas e de outros grupos extremistas. Mais de 63 milhões de cristãos na Índia são perseguidos por sua fé.

Postar um comentário

0 Comentários