China proíbe professores de mencionar Deus em sala de aula

 A medida faz parte de um projeto que inclui o estabelecimento de um sistema de 'controle ideológico' dentro das salas de aula.

Professores são proibidos até mesmo de mencionar palavras como 'Deus' e 'oração' em sala de aula na China. (Foto: China Daily)

Os professores na China que mencionam Deus ou religião agora correm o risco de ser demitidos, já que as autoridades comunistas controlam cada vez mais os materiais educacionais e expandem sua lista de tópicos que os professores não podem discutir ou nem mesmo mencionar nas salas de aula.

De acordo com a agência ‘Bitter Winter’, uma publicação produzida pelo Centro de Estudos sobre a Nova Religião que reporta sobre questões de direitos humanos na China, o Partido Comunista Chinês está monitorando estritamente o que os professores dizem nas escolas e universidades.

Os professores são observados em suas salas de aula por autoridades que procuram por “pensamentos reacionários” ou “comentários impróprios”, garantindo que os alunos não sejam ensinados sobre democracia, religião ou expostos a qualquer crítica ao regime. As escolas na China são controladas pelo governo e, portanto, comunistas em ideologia.

“O governo acredita que os professores religiosos são ‘hostis ao Partido’ [Comunista], mesmo que não evangelizem”, disse um professor de inglês da província oriental de Shandong. “O Partido Comunista Chinês teme que eles integrem a fé ao ensino. É por isso que eles controlam estritamente os professores e querem que eles sigam seu sistema ideológico e, eventualmente, se tornem marionetes que não podem pensar de forma independente”.

Uma professora universitária na Mongólia Interior disse à Bitter Winter que no ano passado que uma equipe de inspeção do governo central foi à escola onde ela trabalhava para investigar a posição ideológica dos professores em relação aos protestos pró-democracia em Hong Kong.

Os professores que responderam defendendo “comentários impróprios” foram punidos.

“Fomos observados durante todas as aulas”, disse a professora, acrescentando que o Ministério da Educação chinês exigia que os professores “não dissessem ou fizessem nada contra a linha do partido em suas atividades educacionais ou de ensino”.

Outra professora de inglês de Shandong disse a Bitter Winter que o Escritório Provincial de Educação a criticou por simplesmente mencionar as palavras “Deus” e “oração” durante uma aula sobre Jane Eyre, enquanto outra foi criticada por mencionar as orações das refeições enquanto discutia as tradições gastronômicas em vários países.

O Departamento de Educação da China também divulgou uma proposta para cada escola que estabelece uma "equipe de controle ideológico" na tentativa de garantir que os professores não influenciem suas salas de aula com diferenças religiosas ou ideológicas.

Contexto

As medidas de censura e controle aumentaram em intensidade desde 2013, quando o presidente Xi Jinping assumiu o cargo, de acordo com a Bitter Winter. Desde que os Regulamentos sobre a legislação de Assuntos Religiosos foram implementados no ano passado, as escolas adotaram “medidas sem precedentes” para manter os alunos longe do cristianismo.

No ano passado, foi relatado que uma escola primária na cidade de Xinzheng, na província central de Henan, exibiu um vídeo de propaganda no qual os seguidores de Jesus eram descritos como grandes monstros assustadores. Depois que a apresentação foi concluída, um professor advertiu que parentes cristãos podem “lançar feitiços” nas crianças.

As autoridades também alegaram que as escolas são lugar “para o Estado promover os alunos a construir a sociedade socialista”, com os pais sendo informados de que têm a obrigação de “criar os filhos de acordo com as leis nacionais e requisitos sociais”.

Em seu relatório anual de 2020, a Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional observou que o Partido Comunista Chinês proibiu jovens com menos de 18 anos de participar de serviços religiosos. Além disso, os líderes cristãos estão proibidos de organizar qualquer atividade com os jovens ou incentivá-los a considerar vocações ministeriais.

Em Shangrao, uma área de Jiangxi, mais de 40 igrejas penduraram um slogan que diz: “Os estrangeiros estão proibidos de pregar; nenhum menor de idade é permitido na igreja".

Um relatório anterior documentou como as autoridades removeram à força crianças adotadas de seus pais cristãos, alegando que os papéis de adoção não eram mais válidos porque seus filhos estavam "presos por uma religião do mal".

O PCCh também ameaçou enviar crianças cristãs para campos de reeducação do governo e ordenou aos pais que se abstivessem de matricular seus filhos nas escolas da igreja.

A China está classificada na Lista Mundial de Vigilância do Portas Abertas dos EUA como um dos piores países do mundo no que diz respeito à perseguição aos cristãos.

A repressão do regime comunista à liberdade religiosa também levou o Departamento de Estado dos EUA a classificá-lo como um "país de preocupação especial" por "continuar a se envolver em violações particularmente graves da liberdade religiosa".

China proíbe professores de mencionar Deus em sala de aula China proíbe professores de mencionar Deus em sala de aula Reviewed by MISSÕES URGENTE on 18:23 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.