“Evangelizávamos os guardas que nos vigiavam”, relata cristão chinês em carta

Membro da Igreja Early Rain escreve carta para compartilhar experiências vividas pelos cristãos perseguidos pelo comunismo.


Chineses demonstram sua fé diante da perseguição comunista. (Foto: Reprodução / CSW)
Em uma carta detalha, divulgada recentemente, um pastor da Igreja Early Rain na China descreve como é a vida para eles, especialmente neste momento que enfrentam os desafios aos cristãos impostos pelo bloqueio devido à pandemia da Covid-19.

No domingo de Páscoa, pelo menos seis líderes da igreja foram tirados de suas casas e sua eletricidade foi cortada, depois que funcionários do governo souberam que estavam participando de um culto online. E este foi apenas um incidente em anos de vigilância governamental intrusiva e assédio que a igreja tem suportado.

A carta, amplamente compartilhada na mídia social chinesa, descreve a experiência dos membros da igreja. Ela foi escrita pelo irmão Zhou*, membro da Early Rain.

Veja alguns trechos:

“Três famílias de nossa igreja estão sob vigilância. Os guardas ficaram na casa do irmão Guoqing*, e ele teve que manter a porta do quarto aberta enquanto dormia. Eles registraram meticulosamente todos os detalhes de sua vida em um pequeno caderno, incluindo quantas vezes ele foi ao banheiro.

Costumávamos estudar a Bíblia, orar e adorar, e desfrutar de refeições juntos na casa da tia Xu. Mas depois de 9 de dezembro de 2018, quando muitos membros da igreja foram presos, não podíamos mais ir lá. [Mesmo assim] este marido e sua esposa estão entusiasmados em pregar o evangelho à polícia e às autoridades.

Às vezes eles viam os guardas parados ao lado da lata de lixo para comer, picados por mosquitos no verão e quase congelados no inverno ... O casal sentia compaixão. Às vezes eles entregam hinos para os guardas, às vezes dão comida, às vezes a Bíblia ... É assim que os cristãos expressam o seu amor...
Nossas três famílias já estão sob guarda há mais de 480 dias ... Mas aos poucos, alguns deles mostraram um pouco de compaixão. E um disse: ‘Alguém foi promovido por sua causa!’ Outro disse: ‘Obrigado por criar um emprego para mim que paga cinco mil por mês’.

Jesus foi interrogado, condenado, açoitado, provocado, desprezado e zombado, e finalmente crucificado, morreu e foi sepultado ... Se não fosse por acreditar em Deus, não teríamos alegria, paz, paciência e esperança diante de todos os tipos de humilhação, intimidação e sofrimento”.

Prisão do líder

Em dezembro de 2018, o pastor Wang Yi e sua esposa Jiang Rong foram detidos, junto com mais de 100 outros membros da igreja, depois de criticar a política do governo em relação a igrejas 
independentes como a dele. Ele recebeu uma sentença de nove anos de prisão em dezembro de 2019. Jiang Rong e muitos outros foram libertados sob fiança, mas alguns continuam detidos ou em prisão domiciliar.

Em um notável ato de obediência às palavras de Jesus em Mateus 5, o irmão Zhou escreveu uma oração pela polícia que está em sua casa.

“Senhor, oramos pela polícia [na China]. Senhor, você dá a eles autoridade e poder - deixe-os usar isso da maneira apropriada. Oramos para que o Senhor lhes dê um coração reto e justo e os deixe trabalhar de acordo com as leis e regulamentos, não apenas o comando de seus líderes. Oramos para que o Senhor lhes dê um coração valente e que ousem dizer não às trevas! Oramos isso em nome do Senhor Jesus Cristo, Amém”.

*Nomes alterados por razões de segurança.
“Evangelizávamos os guardas que nos vigiavam”, relata cristão chinês em carta “Evangelizávamos os guardas que nos vigiavam”, relata cristão chinês em carta Reviewed by MISSÕES URGENTE on 15:17 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.