Header Ads Widget

China propõe rastreamento global da Covid-19 usando código QR

 O presidente chinês, Xi Jinping, pediu um sistema global de códigos QR, para facilitar as viagens internacionais e a reabertura da economia durante a pandemia.

Xi Jinping, presidente da China, em visita à cidade de Wuhan, primeiro epicentro do coronavírus. (Foto: Xinhua/Xie Huanchi)

O presidente chinês, Xi Jinping, pediu um sistema de rastreamento global da Covid-19 usando códigos QR, para facilitar as viagens internacionais e a reabertura da economia durante a pandemia.

Falando na reunião virtual dos líderes do G20 no sábado (21), Xi disse que os países precisam coordenar suas políticas para facilitar o “funcionamento tranquilo” da economia global, segundo a agência de notícias estatal Xinhua.

“A China propôs um mecanismo global de reconhecimento mútuo de certificados de saúde com base em resultados de testes de ácido nucléico na forma de códigos QR que são aceitos internacionalmente. Esperamos que mais países adotem esse mecanismo”, disse Xi. 

Por outro lado, os defensores dos direitos humanos alertam que os códigos podem ser usados ​​para um “monitoramento político mais amplo” e “exclusão”.

O presidente chinês não deu mais detalhes sobre como o mecanismo pode funcionar, ou se é semelhante ao sistema de códigos QR da própria China, que avisa se os cidadãos devem ficar em quarentena ou não.

De acordo com o esquema que a China vem adotando desde fevereiro, os usuários recebem um código QR no formato de semáforo em seus celulares. O código verde permite o trânsito livre, enquanto o código laranja ou vermelho indica que é preciso ficar em quarentena por até duas semanas.

Os códigos são baseados em uma combinação de big data e informações enviadas pelos próprios usuários. A tecnologia foi desenvolvida pela fintech mais valorizada do mundo, a Ant Financial, controlada pelo grupo Alibaba.

Xi pediu ainda a reabertura da economia global, incluindo a restauração das “cadeias de abastecimento globais e industriais” e a “liberalização do comércio de suprimentos médicos essenciais”.

Cavalo de Tróia

Embora a China tenha conseguido controlar a propagação do coronavírus de forma mais eficaz do que a maioria dos países, o uso da tecnologia de rastreamento aumentou o temor de uma escalada da vigilância, em um país onde os cidadãos já são altamente monitorados.

O diretor executivo da organização Human Rights Watch, Kenneth Roth, expressou cautela sobre a proposta de Xi.

“Cuidado com a proposta do governo chinês de um sistema global de código QR”, disse ele no Twitter. “Um foco inicial na saúde poderia facilmente se tornar um Cavalo de Tróia para monitoramento político mais amplo e exclusão”.

A cidade chinesa de Hangzhou planeja fazer uma versão permanente do sistema de código QR, que seria usado para atribuir aos cidadãos uma “pontuação pessoal” com base no histórico médico, exames de saúde e hábitos de vida.

Os códigos QR têm sido usados ​​de forma diferente em outros lugares. Em Cingapura e na Austrália, por exemplo, eles são usados ​​para o “contact tracing”, um sistema que identifica todas as pessoas com as quais um paciente Covid-19 entrou em contato.

Para isso, os moradores fazem check-in e check-out de todos os lugares que visitam, incluindo shoppings, restaurantes e locais de trabalho.

Postar um comentário

0 Comentários