Header Ads Widget

Chefe de tribo recebe cura sobrenatural após oração de missionário

 A experiência aconteceu durante visita de missionários à Ilha de Pentecostes de Vanuatu, após ciclone destruir local.

Sam Paris, missionário AGWM em Vanuatu com o chefe da tribo local, que foi curado após oração. (Foto: Reprodução / AG News)

Depois do ciclone Harold no início deste ano, as estradas na remota ilha de Pentecostes, uma das 83 que compõem a nação do Pacífico Sul de Vanuatu, que estavam intransitáveis.

“O lugar foi um dos mais atingidos por deslizamentos de terra e ventos fortes que varreram parte das estradas de terra, transformando a paisagem em algo ainda mais selvagem e desafiador”, relatou Sam Paris, missionário AGWM em Vanuatu.

Em um grande esforço para levar alívio às vítimas do ciclone, Sam e outros missionários oraram para que Deus os usasse, abrisse portas para compartilharem o Evangelho e que vidas fossem transformadas para sempre.

“Também oramos para que Deus nos guiasse a cada passo do caminho e que somente a Sua vontade fosse feita”, lembrou Sam.

“Amarramos nossas mochilas e subimos uma montanha até o centro de Pentecostes, no extremamente remoto vilarejo de Ratap. Toda a comunidade nos cumprimentou, ansiosa para ver quem eram aqueles que estavam dispostos a fazer a viagem para visitá-los”, disse o missionário.

Ele contou que enquanto faziam as apresentações e explicavam por que estavam ali, o chefe do lugar saiu de sua cabana. “Eu logo notei uma ferida aberta nas costas de sua mão. Quando me aproximei dele, pude ver que a ferida tinha cerca de 5 centímetros de diâmetro e era extremamente profunda, expondo os tendões. Sua mão estava muito inchada e infeccionada. Ele estava com tanta dor que não conseguia levantá-la”, relatou Sam.

Ele soube que o chefe tinha ido pescar tentando conseguir comida para sua família. Enquanto estava no oceano, um polvo o atacou. Ela agarrou seu braço e arrancou um pedaço de sua mão antes que ele pudesse se desvencilhar. Agora sua mão estava inchada e seu corpo muito infectado.

Sem médico

“As ilhas externas de Vanuatu não têm nenhum atendimento médico, uma ferida infectada é mortal aqui”, contou o missionário.

“Depois de conhecer a área e avaliar suas necessidades após o ciclone, senti o Espírito Santo me inspirar a orar pelo chefe”, relatou o missionário. “Perguntei-lhe se poderia orar para que Deus curasse sua mão”.

Ratap não tem acesso a nenhuma igreja e ainda segue as crenças animistas tradicionais, mas após algumas considerações, o chefe concordou. “Orei com entusiasmo, porque temos pedido a Deus oportunidades de torná-lo conhecido e vê-lo operar de maneiras maravilhosas”, contou Sam, explicando que pouco depois da oração foram embora.

Milagre

Sam conta que três semanas depois, voltaram ao Pentecostes em um navio que estava cheio de arroz e carne enlatada para distribuição. “Quando chegamos em Ratap, o chefe veio correndo. Ele ergueu a mão, mostrando-me que o inchaço havia sumido e a ferida aberta havia se tornado apenas uma pequena crosta!”, contou Sam.

“O chefe me disse que, assim que oramos por sua ferida purulenta, ele parou de chorar! Naquele dia e todos os dias depois disso, ficou melhor e melhor”, testemunhou o homem ao missionário.

O homem perguntou a Sam se ele estava disposto a fazer pelos outros o que fez por ele. “Expliquei com entusiasmo que foi Deus quem o curou e que ficaria feliz em orar pelos outros”, conta Sam.

O chefe o conduziu de cabana em cabana, onde Sam impôs as mãos sobre os enfermos e feridos, pedindo a Deus que os curasse e fizesse Sua presença conhecida.

Postar um comentário

0 Comentários