Header Ads Widget

Polícia no Paquistão encontra corpos de irmãs cristãs, mortas por se recusarem a se converter ao islamismo

 

Bandeira do Paquistão

A polícia paquistanesa descobriu os corpos de duas mulheres cristãs em Lahore em 4 de janeiro, que teriam sido mortas por seus supervisores muçulmanos por não se converterem ao islamismo.

As irmãs Sajida Mushtaq e Abida Qaiser foram encontradas amarradas, enfiadas dentro de um saco e depois jogadas perto de uma vala de drenagem, informou o Morning Star News .

As mulheres estavam desaparecidas desde 26 de novembro.

O marido de Sajida, Mushtaq Masih, disse à polícia que sua esposa havia mencionado anteriormente que estava sendo importunada por seus supervisores muçulmanos no trabalho.

"Minha esposa sempre reclamava de assédio por parte de seus supervisores, mas ela costumava me dizer que estava lidando bem com a situação", disse Masih ao Morning Star News . "Depois que ela desapareceu, um de meus parentes compartilhou conosco que Sajida confidenciou a ela que seus supervisores, Muhammad Mumtaz e Naeem Butt, costumavam pressioná-la e a Abida a se converter ao Islã e se casar com eles."

Masih entrou com um boletim de ocorrência na polícia depois que sua esposa e cunhada não voltaram do trabalho para casa. O oficial Iftikhar Hussain, que estava investigando o caso, disse que a polícia questionou Mumtaz e Butt depois que eles foram informados de que Mumtaz costumava atormentar as duas mulheres, dizendo-lhes que se casassem com ele.

Os dois suspeitos posteriormente confessaram ter matado as irmãs.

"Durante o interrogatório, Naeem confessou que eles haviam sequestrado as irmãs e, depois de mantê-las como reféns por alguns dias para satisfazer sua luxúria, cortou suas gargantas e jogou seus corpos no ralo", disse Hussain ao Morning Star News .

Masih e outro membro da família foram convidados a identificar os dois corpos. "Ainda não consigo imaginar a visão do corpo decomposto de minha esposa", disse Masih.

“Tenho três filhos e uma filha - o mais velho com 11 anos e o mais novo com 5 - enquanto Abida tem apenas uma filha, com 9 anos” , acrescentou. "Você pode imaginar o trauma emocional e mental que nossos filhos e todos os outros membros da família têm sofrido desde que Sajida e Abida desapareceram. Quando a polícia nos informou que havia identificado os dois corpos como sendo de nossos entes queridos, parecia que todo o nosso mundo desmoronou. "

O Ministro das Minorias e Direitos Humanos da Província de Punjab, Ejaz Alam Augustine, atendeu os familiares enlutados.

“Nenhuma palavra é suficiente para condenar a barbárie infligida às duas mulheres inocentes”, disse o ministro.

Agostinho explicou que o número de conversões forçadas de mulheres e meninas cristãs em Punjab está aumentando, mas que as autoridades estão promulgando leis para punir os envolvidos.

  
"Enviamos um projeto de lei ao ministério provincial de direito para avaliação. Será apresentado na Assembleia de Punjab após o consenso de todos os partidos políticos", disse ele.

O Paquistão está em quinto lugar na lista de países do Open Doors '2020 World Watch onde os cristãos sofrem mais perseguição.

Postar um comentário

0 Comentários