Header Ads Widget

“Jó viveu com os dinossauros e a ciência confirma”, diz cientista Marcos Eberlin

Segundo Eberlin, as Escrituras apresentam muitas verdades científicas. “A Bíblia é autoridade máxima, inerrante e absoluta”.


O químico Marcos Eberlin, presidente da Sociedade Brasileira de Design Inteligente - TDI Brasil. (Foto: Davi Ribeiro/Folhapress)


 O cientista e químico brasileiro, Marcos Eberlin, participou da 23ª edição do Encontro para Consciência Cristã, no dia 15 de fevereiro, onde palestrou sobre fé e ciência. Com o tema “Restabelecendo a Autoridade Científica da Bíblia”, Eberlin fez um alerta sobre os ataques contra as Escrituras, que vêm sendo feitos pelos próprios jovens cristãos.

Segundo o químico, muitos estão dizendo que certos textos bíblicos são alegóricos e que não há possibilidade de misturar ciência e Bíblia. “Não temos que usar a ciência para interpretar a Palavra de Deus e nem precisamos do livro de Darwin para compreender como chegamos até aqui”, exclamou.

“Eu labuto na ciência por muitas décadas e posso afirmar que a Bíblia apresenta muitas verdades científicas. Ela conta como o universo e o homem foram criados. Ela especifica detalhes sobre os astros”, lembrou.

“A terra tem mais de 1.200 condições únicas que somente ela possui. Se disserem que encontraram outro planeta terra por aí, chamem o Procon, porque é fake”, brincou. Eberlin enfatiza que Deus não precisou utilizar nenhum processo evolutivo para criar, mas Ele simplesmente criou a partir do seu poder.

“É nesse Deus que eu creio”

Eberlin encoraja os jovens universitários a crer no Deus bíblico. “Devemos crer num Deus que fez todas as coisas prontas pelo poder da Sua Palavra, um Deus que não se associa à ciência de homem algum”, ressaltou.

“Veja o Beemote que criei quando criei você e que come de capim como o boi. Que força ele tem em seus lombos! Que poder nos músculos do seu ventre! A cauda dele balança como o cedro; os nervos de suas coxas são firmemente entrelaçados. Seus ossos são canos de bronze, seus membros são varas de ferro. Ele ocupa o primeiro lugar entre as obras de Deus.” (Jó 40.15-19)

Ao citar o texto do livro de Jó, o cientista aponta para a evidência bíblica de que os dinossauros viveram com os humanos. “Recentemente, a paleontóloga americana, Mary Schweitzer, foi buscar um osso de dinossauro e por não caber no helicóptero, tiveram que serrar ao meio. O osso cheirava mal”, relatou.

Ele conta que, durante a avaliação, detectaram a existência de colágeno e células sanguíneas. “Sabemos muito bem que proteínas não se conservam no meio ambiente, em 200 ou 300 anos elas se degradam. Talvez os dinossauros tenham sido extintos há menos tempo do que dizem por aí”, disse.

“Jó viveu com os dinossauros. É heresia o que estou dizendo? Mas a ciência confirma isso. A Bíblia é autoridade máxima, inerrante, absoluta e suficiente. Você não precisa do livro 67 [referindo-se à Evolução das Espécies de Charles Darwin] para entender a Criação. E se esse livro contrariar a Palavra, fique com a Palavra”, concluiu.

Postar um comentário

0 Comentários