Header Ads Widget

Maior país islâmico do mundo, Indonésia nomeia evangélico como chefe da polícia nacional

O general Prabowo vem de uma família com tradição reformada protestante.

A posse do novo chefe da polícia nacional, General Listyo Sigit Prabowo. (Foto: Twitter Gabinete presidencial da Indonésia)

Quarto país mais populoso, a Indonésia nomeou um evangélico como o novo chefe da polícia nacional. Ele é o terceiro funcionário de uma minoria religiosa a ocupar esta posição no maior país islâmico do mundo.

O general Listyo Sigit Prabowo, cristão pentecostal, foi aprovado por unanimidade pelo parlamento, apesar da oposição de grupos islâmicos. Ele promete criar “uma polícia confiável e combater o extremismo”.

Prabowo vem de uma família com tradição reformada protestante. Ele disse anteriormente que experimentou uma renovação da fé na Igreja Pentecostal de Betel.

Antes de sua nomeação, Prabowo era o chefe da Agência de Investigação Criminal da Indonésia. Ele foi o único candidato do presidente Joko Widodo, aprovado por unanimidade pelo Conselho Representativo do Povo, câmara baixa do parlamento da Indonésia.

Divisão entre muçulmanos

A nomeação do general pelo presidente Joko Widodo, um muçulmano secular, teve forte oposição de Muhyiddin Junaidi, presidente do Conselho Indonésio de Ulema (MUI), um dos órgãos clericais islâmicos do país.

Junaidi destacou que “embora a Indonésia seja um país secular, não seria apropriado que o líder da polícia tivesse uma origem não muçulmana. Era natural que os líderes de qualquer país tivessem a mesma religião da maioria da população”.

A “Frente Pembela” e os apoiantes indonésios da rede internacional de terrorismo islâmico “Hizb ut-Tahrir” (Partido da Libertação) também tentaram mobilizar as pessoas nas ruas de Jacarta contra a posse do “Homem de Ambon”, como o chamam, depois de sua cidade natal.

Apesar destes incidentes, a oposição à candidatura de Prabowo foi mínima, dado que as maiores organizações muçulmanas de massa do país, Nadhatul Ulama (NU) e Muhammadiyah, deram abertamente o seu apoio ao general.

Ele também recebeu o apoio das principais organizações muçulmanas e clérigos islâmicos em Banten, uma das províncias indonésias mais conservadoras, perto da capital, onde chefiou a polícia local.

“Todo cidadão tem os mesmos direitos para alcançar uma posição de liderança”, declarou a Comunhão das Igrejas na Indonésia (CCI / PGI).

A organização saudou a nomeação do novo chefe de polícia, afirmando que “a religião de Prabowo não desempenhou um papel, o que importa são suas conquistas e sucessos passados, bem como sua visão para o futuro da Indonésia como um país democrático, livre, mas ordeiro”.

Prabowo também recebeu apoio dos bispos católicos romanos do país.

Diversidade e transparência

Durante o seu discurso de aceitação, Prabowo prometeu melhorar a força policial e “promover a diversidade”, para combater a discriminação que as minorias indonésias frequentemente sofrem.

Disse também que lutará contra o extremismo, apoiará a liberdade religiosa e trabalhará “para criar uma polícia confiável e transparente, para ser a protetora de todos os cidadãos da nação”.

“As várias experiências da nação e do estado até agora serão certamente lições valiosas para todos nós no esforço de continuar a reforma policial”, acrescentou.

O Chefe da Polícia Nacional destacou também que, sob a sua liderança, a Polícia “continuará a realizar esforços de aplicação da lei para lidar com a pandemia Covid-19 e garantir a segurança pública”.

Postar um comentário

0 Comentários