Header Ads Widget

Sequestro do pastor Raymond Koh completa quatro anos

Confira a linha do tempo com os principais acontecimentos sobre o caso

Durante esses quatro anos, a família, os amigos e as comunidades cristãs realizaram ações para encontrar o pastor Koh

Hoje, 13 de fevereiro, marca quatro anos do desaparecimento do pastor Raymond Koh na Malásia. Em 2017, ele foi abordado e levado por 15 homens em plena luz do dia. Passados quatro anos do sequestro, as buscas pelo pastor continuam e a família, os amigos e as comunidades cristãs lutam para encontrar respostas sobre as investigações. 

A Portas Abertas contou um pouco sobre a vida do líder cristão desaparecido e hoje traz uma linha do tempo com as principais ações realizadas ao longo desses quatro anos de buscas pelo pastor Koh. Confira.


13 – Pastor Koh é sequestrado por homens em três SUVs pretos por volta das 10h30.

14 – Jonathan Koh vai até a Delegacia de Kelana Jaya e comunica o desaparecimento do pai.

22 – O inspetor-geral de polícia da Malásia, Khalid Abu Bakar, promete à imprensa criar uma força tarefa para encontrar o pastor Koh.

6 – Policiais apresentam atualizações da investigação à família Koh, mas a família não é autorizada a levar advogados ou conselheiros.

7 – Policiais dão 3 possíveis razões para sequestro do pastor: vingança, evangelismo de muçulmanos ou interesse em pagamento de resgate.

23 – Susanna Koh entrega à polícia carta com dúvidas da família sobre investigação e depoimentos públicos de policiais.

4 – Cristãos se reúnem em oração pelos 50 dias do desaparecimento do pastor Koh.

5 – Jornal publica relatos de adolescentes muçulmanos que foram evangelizados pelo pastor Koh. Polícia diz investigar, mas não comunica família sobre denúncias.

20 – A Comissão de Direitos Humanos da Malásia (SUHAKAM) recebe memorando com denúncia de desaparecimento forçado de pastor Koh, Joshua e Ruth Hilmy, e Amri Che.

21 – O presidente da SUHAKAM, Razali Ismail, anuncia investigação independente sobre os quatro malaios desaparecidos.

5 – Susanna participa de coletiva de imprensa da CAGED (Cidadãos Contra o Desaparecimento Forçado), criada para defender a causa dos malaios desaparecidos.

15 – A família de Koh apela ao WGEID (Grupo de Trabalho sobre Desaparecimentos Forçados ou Involuntários), para relatar o sequestro como "desaparecimento forçado”.

23 – 100 dias após o sequestro de Raymond Koh, a família Koh se reúne com jornalistas e mostra desapontamento com investigações policiais.

24 – Polícia diz ter prendido um suspeito do sequestro, mas nunca comunicou a prisão ou soltura do suposto culpado.

16 – A SUHAKAM emite uma declaração à imprensa reiterando que a comissão está investigando os sequestros.

25 – Imprensa relata uma operação policial em Kedah e Perak que levou a novas pistas sobre o caso.

25 – Em um evento de imprensa, a polícia afirma que Raymond Koh foi sequestrado por partidos ligados a um sindicato de tráfico humano no Sul da Tailândia.

9 – A SUHAKAM anuncia um inquérito público sobre os desaparecimentos dos quatro malaios.

19 – Começa o inquérito público conduzido pela SUHAKAM. Os integrantes incluem Datuk Mah Weng Kwai (presidente), Prof. Datuk Dr. Aishah Bidin e Dr. Nik Salida Nik Saleh.

2 – A família Koh comemora o aniversário de 63 anos do pastor Raymond na audiência.

16 – A polícia prende um suspeito e o acusa perante o tribunal pelo sequestro do pastor Koh.

 13 – Um evento de oração é realizado após um ano de desaparecimento do pastor Koh.

24 – O grupo CAGED organiza uma vigília solidária para mostrar apoio às famílias do pastor Raymond Koh, Amri Che Mat, e Joshua e Ruth Hilmy.

27 – Um delator acusa o inspetor-geral da polícia, Khalid Abu Bakar, de ter conhecimento prévio e aprovar o sequestro do pastor Koh.

3 – A Portas Abertas entrega uma petição com mais de 14 mil assinaturas à embaixada da Malásia no Brasil, pedindo que as investigações fossem intensificadas.

2 – Aniversário de 64 anos do pastor Raymond Koh.

13 – A família Koh apresenta um memorando ao Gabinete do Primeiro-Ministro pedindo uma nova investigação com equipe independente.

3 – A SUHAKAM divulga descobertas em um relatório, afirmando que o pastor Koh e Amri Che Mat são vítimas de desaparecimento forçado pelo Estado.

23 – Governo promete uma força-tarefa especial para investigar os desaparecimentos do pastor Raymond Koh e do ativista social Amri Che Mat.

26 – As famílias do pastor Koh e Amri expressam decepção com a nomeação da equipe de membros da força-tarefa especial pelo envolvimento deles com a polícia, acusada de sequestrar os malaios.

3 – Lançamento oficial do livro "Onde está o Pastor Raymond Koh?" escrito por Lee Hwa Beng e Stephen Ng.

30 – A SUHAKAM intima o governo do país a ratificar a Convenção Internacional para a Proteção de Todas as Pessoas contra o Desaparecimento Forçado (ICPPED), porque estavam investigando os casos como desaparecimento e sequestros comuns.

9 – Susanna relata que membros da força-tarefa haviam feito um novo interrogatório com ela e o filho Jonathan, mais parecendo assédio.

16 – A família organiza evento de mil dias do sumiço do pastor Raymond Koh e a força-tarefa completa 5 meses.

12 – Susanna entra com um processo contra funcionários da polícia, bem como o governo sobre o suposto sequestro do pastor pelo Estado. 

4 – Susanna recebe o prêmio de Mulheres de Coragem Internacional dos Estados Unidos da América 2020.

30 – No Dia Internacional do Desaparecimento Forçado, Susanna envia uma mensagem à Portas Abertas: "Não vamos desistir ou perder a esperança. Confiaremos em Deus para que a verdade e a justiça prevaleçam".

5 – A gestão do caso está em andamento e Susanna pede orações porque os advogados estão preparando documentos e provas para um pré-julgamento.

10 – Susanna conversa com a Comissão dos EUA para a Liberdade Religiosa Internacional (USCIRF, na sigla em inglês) e ganha mais apoio internacional para o caso.

13 – Sequestro do pastor Raymond Koh completa quatro anos.

Postar um comentário

0 Comentários