Header Ads Widget

Oito famílias renunciam à fé em Bangladesh

A perseguição e a pressão aos cristãos ex-muçulmanos têm aumentado no país

Um cristão ex-muçulmano cedeu à pressão e renunciou à fé e, agora, ajuda os extremistas na perseguição aos seguidores de Jesus em Bangladesh

Parceiros da Portas Abertas em Bangladesh receberam relatos de que cristãos ex-muçulmanos do Norte estão sendo constantemente perseguidos por um grupo de maulana, líderes religiosos e estudiosos do islamismo. Os extremistas visitam os cristãos de casa em casa, os forçando a renunciar à fé em Jesus e retornar ao islã.

"Este grupo convidou muçulmanos locais para evitar os cristãos e os isolar completamente. Eles enviaram uma mensagem a todas as mesquitas locais e líderes dizendo que é responsabilidade deles fazerem os cristãos renunciarem à fé e voltarem ao islã. Eles também listaram nomes e endereços dos seguidores de Jesus. E agora, regularmente, duas vezes por dia, eles visitam as casas dos cristãos e os forçam a renunciar a Cristo. Quando se recusam a obedecer, os cristãos são ameaçados de serem prejudicados. Por medo de perseguição e tortura, cerca de 8 famílias já renunciaram à fé", compartilha o irmão Abraham, um parceiro local da Portas Abertas.

Outros colaboradores da região relatam que um cristão ex-muçulmano, que negou abertamente a fé em Jesus e voltou ao islã, está ajudando o grupo a identificar os outros seguidores de Cristo. "Ele era um pastor e evangelista de uma igreja que levou muitas pessoas a Cristo. Por isso, contou tudo sobre como os cristãos evangelizam e convertem as pessoas. O testemunho dele contém muitas declarações falsas e negativas sobre os cristãos, o que dá aos muçulmanos uma má impressão dos cristãos", explica o irmão Abraham.

O grupo maulana também tomou a igreja onde esse e outros cristãos ex-muçulmanos costumavam adorar e transformou em um local islâmico. Eles levaram todos os materiais que estavam sendo usados na igreja, bem como materiais para aulas de alfabetização de adultos. O grupo também postou vídeos on-line mostrando os materiais, insultando os cristãos e acusando-os de dar dinheiro a quem se converte ao cristianismo.

Cristãos estão escondidos

Muitos líderes familiares agora se esconderam porque são forçados a negar Jesus. "Os cristãos são perseguidos pelos aldeões muçulmanos, que são um grande número nessas aldeias. Agora, os seguidores de Jesus não podem ir ao mercado, comprar e vender coisas, e nem ir trabalhar. Os maulana têm ido de mercado em mercado, loja a loja, dizendo aos muçulmanos para não venderem coisas aos cristãos", conclui Abraham.

Anand*, um dos cristãos pressionados a renunciar à fé, compartilha a situação que vive: "Eu tenho uma loja no mercado local que é minha única fonte de renda. Sou ameaçado pelos muçulmanos de não ir a minha loja. Não posso ir ao meu estabelecimento há semanas. Não sei se minhas coisas ainda estão lá ou não, e estou sofrendo uma crise alimentar. Eu sou o único cristão na minha família, e meus parentes estão me pressionando a renunciar a minha fé em Jesus. Eu não sei o que fazer".

Parceiros da Portas Abertas em Bangladesh estão orando e investigando como podem ajudar os cristãos nessa situação. Até agora, há cerca de 132 famílias que optaram por não renunciar à fé em Jesus e estão sendo perseguidas. Entre elas, 81 não estão conseguindo se alimentar, já que os homens da família estão escondidos e, portanto, não estão trabalhando e nem levando dinheiro para casa. 

Pedidos de oração

  • Ore pelos cristãos ex-muçulmanos em Bangladesh, para que Deus esteja com eles, os protegendo e os mantendo firmes na fé.
  • Interceda para que o grupo maulana tenha a vida transformada por meio do encontro com Jesus, testemunhando das boas obras do Senhor.
  • Clame para que os parceiros da Portas Abertas no local tenham sabedoria para administrar os conflitos contra os cristãos e saibam como ajudar os seguidores de Jesus.

Postar um comentário

0 Comentários