Header Ads Widget

Para manter as contas de sua igreja, pastor vende sacos de lixo nas ruas de SP

Mesmo com o templo fechado e a dificuldade financeira, a rotina de orações da igreja não parou.

Pastor Adalto Oliveira Brito vende sacos de lixo para ajudar a pagar contas de sua igreja. (Foto: Profissão Repórter/Globo)

Quando os cultos presenciais foram proibidos por um decreto estadual por causa da pandemia, o pastor Adalto Oliveira Brito teve que buscar outras alternativas para manter o Ministério Reviver em Cristo em Franco da Rocha, na Grande São Paulo.

O pastor passou a vender sacos de lixo nas ruas da região para conseguir pagar o aluguel do prédio da igreja, que custa R$ 1.100. Acompanhado pela equipe do Profissão Repórter, ele conseguiu vender 13 pacotes, arrecadando 130 reais para a igreja.

“Se a gente vendesse esses 13 pacotes todos os dias, seria uma bênção de Deus para as nossas vidas”, disse o pastor Adalto em reportagem exibida pela Globo na terça-feira (20).

Infelizmente, a venda de sacos de lixo não foi suficiente para pagar o aluguel, já que apenas metade do valor foi arrecadado. Para completar a meta, a esposa do pastor teve a ideia de vender panquecas de carne e frango — três por 10 reais.

Mesmo com a igreja fechada, a rotina de orações não parou. O pastor, que tem um caderno com o nome de dezenas de pessoas com problemas de saúde, organizou um relógio de oração de 24 horas em um fim de semana, no qual fiéis se revezaram das 7 horas do sábado até às 7 horas do domingo.

O pastor Adalto ainda reuniu um grupo de pessoas para orar em frente a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), seguindo o forte movimento de oração pelos hospitais no Brasil.

O comerciante Wanderson Dias, que estava com os pais internados na UPA, pediu ajuda ao grupo.

“Você tem que buscar um refúgio, uma saída, uma solução. Através da fé, não importa a igreja, se é evangélica ou católica, não importa a religião, nesse momento você precisa ter o apoio de Deus e de pessoas que escutem você. Às vezes você precisa desabafar, falar ou apenas ouvir: ‘Olha, Deus está cuidando’”, diz Wanderson.

A reportagem ainda acompanhou o pastor durante uma reunião de oração no monte, depois de enfrentar uma trilha mata adentro por 30 minutos. 

“Pessoas que se encontram intubadas, pessoas que foram desenganadas pela medicina. Nós sabemos que Deus é o Médico dos médicos”, disse Adalto, diante da extensa lista de oração.

Postar um comentário

0 Comentários