Após ataque a creche, ministro entrega Bíblias a familiares das vítimas em Saudades

Header Ads Widget

Após ataque a creche, ministro entrega Bíblias a familiares das vítimas em Saudades

O ministro da Educação Milton Ribeiro esteve na Escola Aquarela, na sexta-feira (14), em nome do presidente Jair Bolsonaro.

Milton Ribeiro no município de Saudades (SC), em visita à Escola Aquarela, palco de recente tragédia. (Foto: Reprodução / Instagram)

O Ministro da Educação, Milton Ribeiro, visitou na sexta-feira (14) a Escola Aquarela, no Oeste de Santa Catarina, que foi palco de um brutal ataque no início de maio, que causou a morte de duas mulheres e três crianças.

Milton Ribeiro escreveu em seu perfil do Instagram que estava em Saudades em nome do presidente Jair Bolsonaro.

“Ainda profundamente comovido, pude oferecer aos pais, familiares e amigos das vítimas minha oração, um terno abraço e a Palavra de Deus, o único que pode curar seus corações partidos, transformar a dor em doce saudade e um dia enfim, a morte em vida”, escreveu.

Em uma reunião privada com as famílias das vítimas, o ministro entregou Bíblias e as desejou o “conforto que só Deus pode dar”.

“Eu sei que as palavras não são suficientemente consoladoras como a presença de alguém. É por isso que vim e trouxe a palavra de Deus, entregando uma Bíblia para cada família”, disse Milton Ribeiro.

Logo após, ele fez uma oração com todos os presentes.

Relembre o crime

O ataque à creche aconteceu no dia 4 de maio. Um rapaz de 18 anos invadiu a unidade Pró-Infância Aquarela por volta das 10h. Ele desferiu golpes contra cinco pessoas, entre elas quatro bebês menores de dois anos. Três deles morreram.

Além das crianças, a professora Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, e a agente educadora Mirla Renner, 20, também foram mortas. Os corpos das cinco vítimas foram velados juntos no Parque de Exposições Theobaldo Hermes na quarta-feira (5). O sepultamento aconteceu no cemitério municipal de Saudades.

O único sobrevivente do ataque é um bebê de 1 ano e 8 meses. Ele teve um dos pulmões perfurados e precisou ser submetido a uma cirurgia. No domingo (9), a criança teve alta hospitalar após cinco dias hospitalizada.

Postar um comentário

0 Comentários