Líder cristão da Indonésia pede a fiéis para não fugirem da perseguição: “Devemos suportar"

A Igreja Pentecostal da Indonésia tem cerca de 20 mil congregações e 3 milhões de membros.


Johannis ('John') Hus Lumenta na sede da igreja em Jacarta. (FOTO: Reprodução/BosNewsLife)
O principal líder da denominação pentecostal da Indonésia pede aos membros da igreja que aceitem ataques contínuos de autoridades muçulmanas justificando que “a Bíblia nos ensina a suportar".

O secretário-geral Johannis ('John') Hus Lumenta fez o apelo aos fiéis enquanto conversava com a BosNewsLife em Jacarta, onde imãs competiam por atenção com as orações feitas pelos alto-falantes.

Lumenta disse que muitos dos quase três milhões de membros de sua Igreja Pentecostal na Indonésia ou 'Gereja Pantekosta di Indonesia' (GPdI) enfrentam assédio devido à sua fé em Jesus Cristo. Os radicais muçulmanos já incendiaram vários edifícios das 20.000 congregações da GPdI, observou Lumenta.

“As igrejas estão queimadas. Mas agradecemos a Deus por ainda podermos sobreviver, na maior nação muçulmana do mundo", explicou ele em uma ampla entrevista.

O líder da igreja de 68 anos disse que o governo do presidente da Indonésia, Joko Widodo, parecia incapaz de controlar a violência anticristã em curso na Indonésia. "O governo fecha e não intervém. Porque eles também estão sob pressão de grupos muçulmanos, é assim todos os dias."

O presidente reeleito da Indonésia, conhecido popularmente como "Jokowi", anunciou no ano passado que consideraria proibir a linha dura e a violenta Frente de Defensores Islâmicos. Ele já interrompeu as operações do Hizbut Tahrir Indonesia, um grupo menor que a Frente de Defensores Islâmicos, que fez campanha por um califado global. Mas terminar as atividades da frente se mostrou difícil. Uma vez visto como politicamente insignificante, o grupo aumentou sua influência através da ajuda humanitária. Quase 90% desta nação, de quase 270 milhões de pessoas, são muçulmanos.

Os cristãos temem que a Frente de Defensores Islâmicos e organizações similares realizem seu sonho de introduzir a lei da sharia em toda a Indonésia. Eles também lembram que a frente organizou com sucesso protestos massivos de rua em 2016 e 2017 contra o governador cristão de Jacarta, um aliado Widodo. O governador, Basuki "Ahok" Tjahaja Purnama, foi posteriormente preso por "blasfêmia contra o Islã" antes de ser libertado no ano passado.

Ataques insistentes

"Todos os dias coisas difíceis estão acontecendo", disse Lumenta. As congregações do GPdI, principalmente nas áreas rurais, estão enfrentando protestos de muçulmanos que se opõem à sua mensagem cristã, destacou o líder. “Eles tentam fazer o que quiserem, como queimar o prédio. O governo acha difícil assumir o controle para evitar esses incidentes.”

Lumenta disse que dezenas de membros da igreja foram assassinados em anos anteriores por sua fé em Cristo. Em 2018, cerca de 18 cristãos foram mortos e muitos outros ficaram feridos em um ataque suicida coordenado a três igrejas na cidade de Surabaya.

“Nenhum membro de nossas igrejas foi morto por sua fé no ano passado. Mas se você construir uma igreja local, protestos violentos podem ser esperados”, disse Lumenta. Ele falou na véspera de uma visita indonésia do rei holandês Willem-Alexander e da rainha Maxima, que discutirá o "diálogo inter-religioso" entre outras questões com líderes políticos e religiosos.

No entanto, "falar pessoalmente sobre diálogo inter-religioso não faz sentido", disse Lumenta. “Parece fazer um compromisso. Como homem de fé em Cristo, acredito na Verdade. O diálogo inter-religioso é mais sobre política. Não tem nada a ver com o crescimento de nossa fé. Ou nos tornando cada vez mais vibrantes ou vitoriosos para Cristo. Essa é a minha opinião."
Líder cristão da Indonésia pede a fiéis para não fugirem da perseguição: “Devemos suportar" Líder cristão da Indonésia pede a fiéis para não fugirem da perseguição: “Devemos suportar" Reviewed by MISSÕES URGENTE on 20:08 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.