Header Ads Widget

Prefeita ataca cantora cristã e pede sua remoção de evento de Réveillon

 LaToya Cantrell criticou a cantora Lauren Daigle por participar de evento de adoração.

Lauren Daigle (Foto: Reprodução/YouTube)

A ganhadora do Grammy, Lauren Daigle, uma artista cristã, expressou sua fé durante sua apresentando no evento “Let Us Worship”, liderado por Sean Feucht, o que desagradou a prefeita de Nova Orleans, LaToya Cantrell, do Partido Democrata, que atacou por sua participação no evento de adoração e pediu sua remoção de um evento público de celebração do Natal.

Cantrell enviou uma carta aos executivos da Dick Clark Productions dizendo que ela “não pode e não deve ser recompensada com exposição na mídia nacional e destaque público”, por causa do seu papel no evento gospel, prejudicando a saúde de todos e os colocando em perigo.

A cantora era uma das convidadas que se apresentaria ao vivo na Jackson Square de Nova Orleans, no dia 31 de dezembro, fazendo parte do evento da ABC, Rockin New Year’s Eve de Dick Clark.

Segundo a prefeita, Daigle deve deveria ser removida do plano de apresentação por ter participado do culto de adoração ao ar livre. “Isso não é quem nós somos, ela não pode ter permissão para representar Nova Orleans ou as pessoas que ele voluntariamente colocou em perigo”, diz a carta.

Na segunda-feira, o procurador-geral da Louisiana, Jeff Landry, enviou a Daigle uma carta na qual afirmou que estava “chocado e consternado” com a atitude de Cantrell, apoiando a cantora e concordando com a sua participação do evento de adoração de Sean Feucht.

“Seus direitos de protestar e adorar estão consagrados na Primeira Emenda. Juro fazer tudo ao meu alcance para protegê-los”, escreveu Landry. Ele criticou a prefeita que permitiu um protesto em um bairro francês da cidade em junho, e agora quer prejudicar a cantora.

Billy Nungesser, um político do Partido Republicano, disse em uma entrevista que era um mal-entendido, pois a cantora mora na região e estava passando de bicicleta perto do French Quarter, onde aconteceu o comício de adoração, e ao ser reconhecida pediram para que ela cantasse uma música.

“Nossa grande chance de promover Louisiana e Nova Orleans … para ter o tapete puxado debaixo de nós por um ato tão odioso, horrível, desagradável, maldoso e inacreditável; você não pode colocar isso em palavras”, disse Nungesser sobre Cantrell.

A CBN News reportou que Beau Tidwell, diretor de comunicações de Nova Orleans, disse que na semana passada que Cantrell e Daigle se reuniram para discutir sobre o evento e outras questões, mas que a preocupação da prefeita em relação à atitude da cantora em novembro permanece.

Postar um comentário

0 Comentários