Header Ads Widget

Pastor Lipão conta sobre o período que esteve afastado da fé: “Eu estava cético”

 Após “se corromper moralmente”, teve uma conversa com Deus e viveu uma “transformação profunda e real”.

Pastor Lipão em conversa com Douglas Gonçalves. (Foto: Reprodução/YouTube/JesusCopy)

Entrevistado por Douglas Gonçalves do movimento Jesuscopy, Filipe Falcão, mais conhecido como “pastor Lipão” abre o jogo sobre tudo o que viveu quando se afastou da vida com Deus. “Eu estava cético, endurecido de coração e só não me confessava um ateu por preguiça”, lembrou.

Ele conta que, numa madrugada, enquanto estava bebendo com os amigos, sua namorada [na ocasião] caiu possessa por demônios. “Meu senso de realidade entrou em choque, porque eu não acreditava mais na espiritualidade e, de repente, vi uma menina falando grosso e se batendo no chão”, disse.

Lipão ligou para o pai, que é pastor. “Em casa, enquanto ele orava por ela, eu recebi uma consciência de pecado de forma muito sobrenatural e houve ali um quebrantamento profundo da necessidade de perdão e de salvação”, relata.

Conversa com Deus

“Após muito choro, meu pai me levou para outro cômodo da casa e me aconselhou a falar com Deus. Só me lembro de confessar todos os meus pecados, de olhos fechados. Meu pai ficou surpreso, porque ele não sabia da profundidade de tudo o que eu estava vivendo”, revelou.

Presenteado por uma “regeneração em seu coração” como ele cita, Lipão conta que teve “uma vontade louca de viver as coisas de Deus”. E os próximos meses foram os mais reveladores.

“Eu tinha muitas revistas pornográficas, maconha e várias coleções de CD’s que me influenciavam para a violência. Entendi que tinha que queimar tudo aquilo e queimei. E uma etapa totalmente nova começou em minha vida. Vivi uma transformação profunda e real. E foi naquela madrugada que eu descobri que Jesus é o caminho”, compartilhou.

Começando de novo

“Ao longo dos meses, eu vi a transformação acontecendo. Primeiro deixei de fumar maconha, mas ainda fumava cigarro. De repente, tive um entendimento da moral de Deus, e sabia que aquilo não era mais pra mim. Da noite para o dia, decidi parar e parei”, recordou.

“Eu também tinha uma vida sexual ativa e entreguei essa área para Deus. Entendi que eu deveria me guardar para minha esposa”, disse. Lipão lembra que não tinha o hábito da leitura, mas nessa época leu oito vezes a Bíblia no período de um ano. “Eu tinha uma fome e uma sede de Deus tão grande”, sublinhou.

Depois de tudo isso se formou em automobilística, conheceu a futura esposa e se casou com 19 anos. Formou-se em Teologia, foi ordenado a pastor e começou o movimento Onda Dura, em 2007. Hoje em dia, Lipão e sua esposa pastora Larissa Estrada têm dois filhos, Joshua e Zion e compartilham o mesmo sonho – “implantar a Onda Dura em cada capital do Brasil e nas principais capitais do mundo”.

Postar um comentário

0 Comentários