Header Ads Widget

Viúva evangeliza assassinos do marido após ouvir a Deus: “Dê testemunho sobre mim”

Kelly Saenz, de 30 anos, entregou Bíblias aos assassinos de seu marido, que era um pregador na Colômbia.

Kelly Saenz e Pabel Saenz junto com os filhos. (Foto: 100 Huntley Street)

A viúva de um pregador na Colômbia decidiu ir, no início do mês, ao local onde seu marido foi morto por causa de sua fé. Ela sentiu um impulso da parte de Deus e agiu com compaixão, entregando Bíblias aos assassinos.

Kelly Saenz e Pabel Saenz se apaixonaram enquanto faziam a obra de Deus juntos e se casaram em 2008. Eles se dedicaram a pregar o evangelho na Colômbia, sendo orientados por Russell Stendal, um missionário que havia sido sequestrado, preso e ameaçado durante seus quarenta anos de ministério no país. 

Trabalhando como motorista de moto-táxi, Pabel foi para uma região perigosa da Colômbia em um domingo, 23 de novembro de 2014 — e nunca mais voltou. Depois de três dias procurando por ele, Kelly soube que seu marido estava morto. 

Kelly recebeu a notícia da morte do marido por um telefonema do chefe da Guarda Indígena. Mais tarde, ela descobriu que Pabel havia sido sufocado até a morte com a alça de sua bolsa, onde suas Bíblias estavam guardadas.

“Eles supostamente o mataram porque queriam roubar sua moto. Eles me deram a moto, as chaves e dois capacetes”, disse Kelly ao 100 Huntley Street, um programa cristão do Canadá.

No início de fevereiro, Kelly, de 30 anos, foi para a região onde seu marido foi morto e se encontrou com moradores nativos. Na ocasião, dois sobrinhos do chefe índigena confessaram ter matado seu marido, mas se recusaram a dizer o porquê. Kelly tem certeza de que foi por causa de suas crenças cristãs.

Testemunha de Cristo

Durante aquele encontro, Kelly teve a chance de confrontar os dois homens e, ao caminhar em direção a eles, ouviu uma voz dentro dela dizer: “Este é o momento em que preciso ver o seu testemunho sobre mim. O fruto de tudo que você e seu marido tem feito nos últimos anos”.

Ela começou a pregar sobre Jesus, com as palavras que Deus colocava em sua boca. “Eu sempre estive na casa de Deus, Ele sempre esteve comigo. Mas quando esses homens estavam na minha frente, eu disse diretamente a eles: Vocês não conhecem o nosso Senhor”, disse.

Mais tarde, ela voltou para a aldeia com caixas de Bíblias, comprometida a continuar o legado de seu marido de permanecer pregando o Evangelho ao povo da Colômbia. “Demos Bíblias aos membros da aldeia indígena e também enviamos Bíblias aos dois rapazes que assassinaram Pabel”, conta.

“Nós podemos facilitar a entrega da Bíblia a uma pessoa e isso pode potencialmente mudar quem ela é. Sua vida, sua forma de pensar, seu coração, suas ações. E então essas mudanças vão melhorar uma família, uma tribo, uma cidade e até uma nação”, conclui a viúva.

Postar um comentário

0 Comentários