Header Ads Widget

Cristãos continuam a ser alvo de perseguição em Mianmar

À medida que os militares intensificam a repressão, os cristãos continuam vulneráveis no país de maioria budista

As autoridades de Mianmar continuam a pressionar os cristãos através de ataques às igrejas e agressões

No dia 28 de fevereiro, a polícia de Mianmar invadiu uma igreja batista em Lashio, ao norte do estado de Shan. Durante a ação, as autoridades prenderam pelos menos 10 pessoas, incluindo quatro pastores. De acordo com um funcionário da igreja, cerca de 30 policiais participaram da incursão: "Eles agrediram manifestantes e depois bateram no nosso portão com o carro deles. Eles destruíram as portas também".

Como em muitos lugares no país, as pessoas em Lashio também foram às ruas para protestar contra o regime militar. Quando a polícia tentou dispersar a multidão com gás lacrimogêneo, alguns manifestantes procuraram abrigo na igreja. Dois dias depois, em 3 de março, o secretário-geral da Baptist World Aid, Elijah Brown, disse que os membros da igreja presos tinham sido soltos. 

"Embora notemos com gratidão que eles foram libertados, continuamos a pedir orações por eles e pelos familiares enquanto assimilam a situação que indica uma prisão injusta. Também continuamos a pedir ao governo de Mianmar que respeite todas as pessoas de fé e todas as etnias em Mianmar e pare as prisões direcionadas, que prejudicam as famílias e minam a paz comunitária", diz Brown. 

"Tanto os militares quanto os manifestantes não mostram sinais de recuo. À medida que a instabilidade cresce em Mianmar, também cresce nossa necessidade de orar. Com a crescente violência, os cristãos continuam presos no meio dos conflitos, e estamos preocupados com a segurança deles", compartilha um parceiro da Portas Abertas.

Comunidades cristãs em Mianmar

O estado de Shan, assim como o de Kachin, tem uma população cristã significativa que enfrentou anos de luta entre os grupos armados étnicos e o exército. Grupos de insurgência são conhecidos por fechar igrejas e deter civis, incluindo pastores e estudantes de escolas bíblicas. 

O mesmo acontece com os cristãos que vivem em um dos outros estados predominantemente cristãos como o de Karen, também conhecido como Kayin. Em fevereiro, as forças armadas de Mianmar foram impedidas de ajudar 200 aldeões deslocados pelos recentes combates entre os rebeldes que desejam a independência do estado e o exército. O golpe de Estado de fevereiro não mudou a dinâmica do conflito, já descrito como uma das guerras civis mais longas do mundo.

Pedidos de oração

  • Continue intercedendo pelos cristãos em Mianmar, para que sejam fortalecidos e continuem firmes na fé sem medo da perseguição.
  • Ore pelos governantes e autoridades do país, para que os ataques violentos contra a população cessem e eles governem visando o bem-estar de toda a população.
  • Clame pelos cidadãos de Mianmar que ainda não conhecem Cristo, para que o Espírito Santo encha os corações deles e experimentem a paz que apenas Jesus oferece.

Postar um comentário

0 Comentários